Sunday, 15 June 2014 00:00

Pai da Mediação no Reino Unido falece aos 73 anos

Written by
Rate this item
(0 votes)

Simon Roberts desenvolveu um modelo de mediação a partir das práticas de uma tribo de Botswana

Simon roberts Pai da mediacaoO antropólogo legal Simon Roberts, que morreu em abril aos 73 anos, era um especialista mundial em resolução alternativa de conflitos. Ele baseou-se em anos de pesquisa na África para argumentar que muitos conflitos, especialmente no seio das famílias, poderia ser melhor resolvido sem a intervenção dos tribunais. Estudando o Kgatla, um grupo tribal Tswana em Botswana, Roberts observou um sistema com mecanismos de resolução em forma de pirâmide, com ênfase em reconciliação. Os mais velhos da tribo coordenavam a mediação, mas não agiam como juízes.

Esta pesquisa foi publicada como o título de “Tswana Family Law” ("Lei de Família Tswana" 1972). Os seus argumentos têm contribuído para as tentativas do governo britânico em reduzir a quantidade de tempo e dinheiro gastos com processos de divórcio, incentivando acordos em mediação ao invés de julgamentos em Tribunais.

Simon foi pela primeira vez para a África depois de sua formatura, em 1962, e deu aulas por dois anos na Faculdade de Direito em Niassalândia (hoje Malawi), e em seguida servindo como consultor jurídico do governo no Botswana durante a realização de sua pesquisa entre os Kgatla. Seus últimos livros incluem “Order and Dispute: An Introduction to Legal Anthropology” ("Ordem e Disputa: uma introdução à Antropologia Legal" - 1979, com uma segunda edição em 2013), que foi o carro-chefe da disciplina, e “Rules and Processes: The Cultural Logic of Dispute in an African Context” ("Regras e Processos: A Lógica Cultural da Disputa no Contexto Africano", com o antropólogo John Comaroff, 1981), o qual voltou ao temo do Tswana.

O trabalho de Roberts culminou “Dispute Processes: ADR and the Primary Forms of Decision-Making” ("Processos de Litígio: Resolução Alternativa de Conflitos e as formas Primárias de Tomadas de Decisão”, com Michael Palmer, 2004), que forneceu uma perspectiva comparativa ampla sobre tratamento de litígios civis. Seu livro mais recente foi “A Court in the City: Civil and Commercial Litigation in London at the Beginning of the 21st Century (“Um tribunal na Cidade: Contencioso Cível e Comercial em Londres no início do século 21”, de 2013), com base em suas pesquisas no Tribunal de Londres, que analisou o trabalho do tribunal no incentivo da solução alternativa de conflitos. Ele continuou ativo muito mesmo após sua aposentadoria.

Simon se tornou professor de Direito na Escola de Economia de Londres (LSE), em 1986, depois de já ter lecionado nessa mesma universidade desde 1965. Ele era um professor e orientador dedicado, e continuou a lecionar em cursos de pós-graduação em Resolução Alternativa de Conflitos até poucos meses antes de sua morte. Assumiu também uma série de cargos não-acadêmicos na LSE. Ao contrário de muitos de seus antecessores, rejeitou o estilo autoritário e viabilizou mecanismos para incentivar tomada de decisões mais inclusivas. No ano passado, a LSE fez dele um membro honorário.

Nascido em Micheldever, Hampshire, Simon foi criado em uma fazenda em Dartmoor e, em seguida, em uma chácara em New Forest. Ele foi educado na escola Tonbridge, Kent, e da LSE, onde cursou Direito. Em 1965 casou-se com Marian Bernadt, que mais tarde tornou-se advogada.

Fora a LSE, Simon realizou uma série de funções editoriais, a mais significativa das quais como editor-geral da “Modern Law Review” de 1988 até 1995. Ele desempenhou um papel fundamental na criação da Escola de Direito Birkbeck, Universidade de Londres para alunos do período noturno. Ele também atuou no conselho consultivo de direito de família (Lord Chancellor), que deu assistência à criação do Family Law Act de 1996.

Simon deixa Mariana, seus filhos, Adam e Sara, e três netos, Jacob, Beatrice e Grace.

• Simon Arthur Roberts, antropólogo legal, nascido 13 de abril de 1941; falecido 30 abril de 2014

Artigo original em http://www.theguardian.com/science/2014/jun/03/simon-roberts

Last modified on Saturday, 14 July 2018 23:17
Mario Solimene Filho

Mario Solimene Filho é advogado formado pela Faculdade de Direito da Universidade de São  Paulo (Largo de São Francisco, turma de 1994), músico erudito e entusiasta das causas pelos Direitos Humanos. Está registrado na Ordem dos Advogados do Brasil, São Paulo, sob o número 136.987.

Confira também seu perfil no Linkedin.